Trabalhar com futebol: conheça algumas profissões na área

Qual é o brasileiro que não sonha em trabalhar com futebol quando criança? É claro que, a maioria de nós, sonha em ser um jogador profissional, usar a camisa 10 da Seleção Brasileira e levantar a taça da Copa do Mundo.

No entanto, esse não é um cargo para todos. Para se ter uma ideia, são 29 mil jogadores profissionais no Brasil nesse momento, mas a vasta maioria deles estão muito longe de serem estrelas.

Cerca de 8 em cada 10 atletas ganham até R$1.000,00 de salário, o que está longe dos milhões que grandes nomes da bola recebem.

No entanto, o mercado do futebol brasileiro é bem grande e movimenta quase R$53 bilhões por ano. Isso significa que há espaço para quem quer trabalhar com futebol, desde que não seja exatamente em campo.

Quer saber algumas profissões da área? Então siga a leitura abaixo!

Veja 7 áreas para trabalhar no futebol

1. Advogado de Direito Desportivo

Se você acompanha o mercado da bola, sabe que os profissionais jurídicos são cada vez mais importantes dentro do contexto diário dos times de futebol. Seja por viabilizar contratações milionárias, seja por defender os direitos trabalhistas dos atletas, os advogados de direito desportivo estão cada vez mais em alta no país.

Um exemplo disso é o escritório de advocacia Maria Pessoa, que atende vários jogadores e ajuda todos os atletas a receber seus direitos e ter uma carreira mais longeva. Lembre-se: para 82% dos jogadores, a vida está muito longe de ser aquela que vemos na TV para os astros dos grandes times. É necessário ter apoio jurídico para conseguir seus direitos.

2. Analista de dados

Você já assistiu ao filme Moneyball? Ele é inspirado na história real de um analista de dados que, em uma parceria inédita com um treinador de um time de baseball nos EUA, conseguiu reformular o esporte com uma abordagem de dados na contratação de atletas.

Por causa disso, muitos outros esportes passaram a contar com um time de analistas de dados para poder tomar as suas decisões.

Esses profissionais devem analisar os dados referentes aos atletas, esquemas táticos e jogos para ajudar o time a tomar decisões sobre quem deve ser contratado, quais são os melhores esquemas a serem utilizados e como se preparar para cada jogo.

3. Preparador físico

Quem assiste futebol há bastante tempo deve ter notado que os times estão se posicionando de forma diferente, a ponto de diminuir o espaço disponível para jogar. Por causa disso, a condição física dos atletas têm sido um fator cada vez mais determinante para a execução do trabalho desses profissionais.

Basta ver como nomes como Haaland, Cristiano Ronaldo e Mbappe (todos fisicamente muito superiores aos adversários) se destacam nas partidas pela velocidade, força ou explosão.

Por isso, o preparador físico é um dos cargos mais importantes do futebol no momento. Sua função é traçar programas de treinos físicos de modo a garantir que os atletas estarão na melhor condição possível.

4. Fisioterapeuta

A saúde dos atletas é um bem muito precioso dentro do futebol. A carga de jogos e treinamentos deles é cada vez maior e o estresse físico é visível. Basta ver quantos jogadores promissores tiveram a carreira prejudicada ou mesmo encerrada por causa de uma lesão no momento errado.

Por isso, o fisioterapeuta é um profissional essencial dentro do mundo da bola, pois ajuda os atletas a se recuperarem fisicamente do esforço feito.

5. Psicólogo

Para muitos, trabalhar com futebol é a profissão dos sonhos. No entanto, é fato que é uma área de enorme pressão. Imagine, por exemplo, o jogador que perde um pênalti na final de um torneio. Ele fica marcado pelo erro e passa a sofrer pressão dos torcedores e da imprensa.

Por isso, os psicólogos, analistas e terapeutas comportamentais estão cada vez mais em alta dentro do mundo da bola. A assistência psicológica é essencial para uma carreira longeva.

6. Jornalista

Trabalhar com futebol não significa apenas estar em um time e prestar serviços ao clube. Há um enorme espaço na mídia, uma vez que o interesse pelo esporte é tremendo. É por isso que é possível encontrar uma vaga de jornalista ou mesmo criar a sua.

Ainda existem cargos mais formalizados para os jornalistas esportivos (como os setoristas que trabalham com certos clubes ou os profissionais das redações dos grandes jornais), mas a Internet permitiu que muitos nomes criassem as próprias carreiras com blogs, vídeos no YouTube e análises próprias.

7. Profissional de marketing

O marketing tem se tornado cada vez mais importante dentro do mundo da bola. Não apenas para viabilizar contratações (um dos principais exemplos foi quando o departamento de Marketing do Corinthians elaborou propostas para poder contratar Ronaldo Fenômeno), mas também para gerar renda extra para os clubes.

Por causa disso, os profissionais de marketing especializados em áreas esportivas são essenciais para que os clubes possam ter mais faturamento, maior conexão com os torcedores e mais recursos para investir em seus resultados esportivos.

E aí, viu só como existem muitas áreas para trabalhar no futebol? Qual delas é a sua favorita? Comente abaixo!