Saiba como aplicar a Inteligência Artificial ao Marketing Digital

Ao contrário do que sugerem alguns filmes de ficção, a Inteligência Artificial não se limita àqueles robôs que têm autonomia total e agem tal como os seres humanos.

Na verdade, a I.A. (Inteligência Artificial) avançou muito nas últimas décadas. E, mais do que costumamos imaginar, ela já está presente em várias soluções que encontramos no universo da informática, da telefonia e da internet como um todo.

Trata-se, é verdade, de um esforço no sentido de fazer com que máquinas e equipamentos imitem a inteligência humana.

Mas isso pode se dar de modo bastante restrito, como em um simples reconhecimento de voz ou de imagem.

Ou seja, quando o celular “entende” um comando de voz, por trás há um princípio de I.A. rodando como software, com apoio no hardware que o permite.

Também assim, o uso da digital nos caixas eletrônicos de banco exige o mesmo tipo de reconhecimento ou leitura, só que de imagem e não de voz.

Embora esses exemplos estejam indiscutivelmente no dia a dia da maioria de nós, existe outro exemplo bastante ilustrativo que também está, embora não seja tão comentado. Trata-se dos motores de busca, que têm mostrado um avanço incrível em termos de I.A.

O mais bacana é que eles já nos inserem no universo do qual este artigo vai tratar: o marketing digital e o modo como a Inteligência Artificial pode ser aplicada nele.

Então, se você quer compreender melhor como essa relação se dá, e aprender dicas práticas de como a I.A. já pode começar a trazer benefícios para seu negócio hoje mesmo, independentemente do tamanho ou formato dele, siga até o fim da leitura.

Você já ouviu falar em Machine Learning?

Como vimos, a Inteligência Artificial está mais presente em nossa rotina do que podemos imaginar em um primeiro momento. Mas ela também é aplicada em casos extremos, que nos escapam, como em drones e armas de guerra.

Contudo, isso não quer dizer que essas mesmas tecnologias não possam ser convertidas, amanhã ou depois, em recursos para usos menos extremos, como os de telefonia e marketing.

Inclusive, os motores de busca é que têm avançado bastante nesse sentido, sobretudo quando o assunto é preservação de dados, aprendizado de máquina (Machine Learning) e busca semântica.

Hoje em dia, se você utiliza um buscador para termos como “gerador industrial”, ele é capaz de criar uma persona sobre você, um histórico que aos poucos vai montando seus hábitos principais e facilitando as próximas pesquisas que você fizer.

A ideia é a seguinte: se depois você escrevesse apenas “gerador”, ainda assim viriam os resultados ligados ao universo industrial, que é o que você mais pesquisa. Mesmo que um gerador também possa ser para uso residencial.

Se você pesquisa algo como “manutenção de servo motor”, e sempre utiliza a palavra-chave “manutenção”, aos poucos a plataforma entende que sua prioridade recai sobre a manutenção, embora também haja, no mercado, venda e revenda de servo motor.

Esse exemplo de Inteligência Artificial é excelente, pois ele integra tanto o aspecto de aprendizado de máquina quanto o de busca semântica.

A questão da preservação em relação a vazamento de dados é uma pauta bem recente, e tem a ver com essa persona que os buscadores criam dos usuários.

A legislação de cada país tem visto isso de um modo diferente; alguns têm ficado bastante alerta.

Seja como for, essa introdução nos insere bem na conceituação da I.A. e dos grandes motores de busca, que têm tudo a ver com o marketing digital da atualidade.

Algoritmos de customização e seus resultados

Os grandes pilares do marketing digital da atualidade recaem sobre os motores de busca, as redes sociais e os blogs e vlogs de geração de conteúdo.

Algumas das estratégias centrais de melhorias podem ser buscadas indistintamente em qualquer um desses canais ou plataformas, tais como:

  • Customização de portfólio;
  • Modelagem da base de leads;
  • Melhorias na conversão;
  • Fidelização e engajamento, etc.

Além das estratégias poderem ser aplicadas quase que universalmente, também os vários segmentos e nichos de mercado apresentam bastante sinergia entre si quando o assunto é estratégia de marketing digital e mecanismos de Inteligência Artificial.

Assim, tanto um escritório de levantamento topográfico quanto uma indústria de parafusos, ambos podem aplicar várias técnicas semelhantes e atingir, seguramente, resultados positivos e vantajosos.

Quando se fala em customização de portfólio, por exemplo, a I.A. pode ajudar de uma maneira incrível.

Inclusive, tem se popularizado no país as lojas físicas que fazem cadastro de clientes e passam a indicar produtos pertinentes no verso das notas fiscais impressas.

Quando vamos para o marketing digital isso se torna ainda mais prático e assertivo. Ao saber que seu cliente é do sexo masculino ou feminino, por exemplo, uma farmácia pode customizar melhor as indicações de newsletters que serão feitas.

Com o tempo, o algoritmo se torna ainda mais preciso, e consegue levar em conta a idade da pessoa, os hábitos de compras sazonais, as compras mais frequentes, etc.

Sempre que uma comunicação assim entra em vigor, o índice de conversão aumenta bastante.

O mesmo pode ser aplicado em blogs, de modo que o leitor que tem interesse em etiquetas para alimentosreceba apenas materiais sobre food service, cozinha industrial e daí em diante.

O fato é que os níveis de customização que os algoritmos de I.A. atingem atualmente permitem resultados que seriam impensáveis sem a união dessa tecnologia com o marketing digital.

Prospects vs. suspects: como acelerar as vendas?

Outra tática que traz melhorias e resultados consideráveis é a de análises preditivas, que levam esse nome no sentido de “predição” ou capacidade de “predizer” uma determinada decisão de um cliente, prospect ou mesmo suspect.

Como é sabido, o funil de vendas é um grande desafio para qualquer empresa, e sobretudo para aquelas que fazem vendas B2B, que são mais demoradas e custosas.

A Inteligência Artificial pode ajudar muito nesses casos. Um exemplo é o de uma indústria que fabrica calha galvanizada e se volta para outra pessoa jurídica, que então poderá fazer a venda já no varejo, para o cliente final.

Neste caso, é possível desenhar estratégias de marketing e vendas que contem totalmente com as previsões feitas por softwares programados para “periciar” o quanto um cliente realmente se aproxima do momento de compra.

Diferentemente do que vimos antes, aqui o poder da informação está totalmente nas mãos da empresa, e não do cliente que receberia um portfólio customizado em mãos. É a empresa quem lança mão de modelagens que indicam os processos internos do comercial.

Outro exemplo de venda B2B se dá na área de softwares, como as soluções de sistema de estoquee automação como um todo, que atendem desde indústrias até grandes varejos, redes de lojas e afins.

Em todos esses casos, poder contar com a I.A. para que ela delineie quais são os prospects mais promissores e os que devem ser afastados como suspects, é algo que valoriza não apenas o tempo do time de vendas, como também o orçamento da empresa.

Chatbots e a revolução no atendimento

Os históricos de dados sempre existiram na informática, é verdade.

Contudo, a criação de algoritmos e a aplicação dos princípios de Machine Learning é que permitem uma modelagem e um mapeamento impensável até poucos anos atrás.

A intervenção humana segue indispensável, e tudo depende não apenas da apuração de técnicos, como da alimentação da máquina com os devidos dados. Mas ainda assim a otimização desses processos tem sido enorme.

É como tentar mensurar a importância da informática na construção civil. A técnica para erguer um muro de contenção pode ser muito antiga.

No entanto, é indiscutível que os softwares da atualidade permitem que tudo seja feito mais rapidamente, com muito mais segurança e de modo totalmente sustentável e escalável.

Um ótimo exemplo de como é possível atingir a excelência e com isso trazer mais conversão são os famosos chatbots.

Talvez algumas pessoas ainda ignorem esse termo, mas é impossível que sejam fluentes na internet e nunca tenham visto um deles em funcionamento.

São aqueles robôs que respondem em um e-commerce ou mesmo em um blog ou landing pages, sem que precise haver uma pessoa por trás em tempo real.

I.A e o universo do Customer Service

Além de um atendimento mais eficiente ao público de clientes ou mesmo de visitantes, também é possível aplicar a Inteligência Artificial ao Marketing Digital para fortalecer a marca e pensar no médio e longo prazo.

Quem nunca ouviu dizer que manter um cliente satisfeito é bem mais barato e fácil do que conseguir novos clientes o tempo todo?

Isso é ainda mais verdadeiro no caso de serviços, como na área de manutenção de servo motor que citamos acima.

Naturalmente, se a empresa não consegue fidelizar o cliente e engajá-lo, uma hora o mercado vai ficar saturado e rejeitar a marca.

As inovações que a I.A. traz nas áreas de Customer Service, Customer Success e Customer Experience são incríveis.

Hoje é possível acompanhar todo o ciclo de vida do cliente e investir na saúde do relacionamento com a contraparte.

Há algoritmos que conseguem rastrear o nível de satisfação do cliente de assinatura e alertar quando for preciso entrar em contato para discutir o serviço, o plano de pagamento e as vantagens da solução.

Com isso vemos como a Inteligência Artificial e o Marketing Digital se tornaram quase que sinônimos, e podem trazer benefícios incríveis para todo tipo de empresa, independentemente do formato do negócio.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.