DICAS PARA EMPREENDER NO MUNDO DIGITAL

O primeiro site (www) surgiu em meados dos anos noventa e foi criado por Tim Berners Lee. Ainda em meados dos anos 1990 tivemos o surgimento do Google como plataforma de buscas e a Amazon como o primeiro e-commerce de livros do mundo. Em 1999 surgia na China o Alibaba, na época um e-commerce B2B, ou seja, para transações entre empresas. A partir destes eventos o mundo passaria a tomar outro rumo na maneira de comunicar, pesquisar e fazer negócios.

Em 2004 tivemos outro evento muito importante, o surgimento da empresa Facebook, hoje dona do Instagram fundado em 2010 e do Whatsapp fundado em 2009.

Estas empresas têm evoluído constantemente proporcionado novas possibilidades e oportunidades na forma de empreender independentemente do tamanho e segmento dos negócios.

Estes fatos já são conhecidos, o fato novo é a Covid-19 que está fazendo com que as empresas aprimorem sua presença digital ou acelere a entrada no mundo digital.

Vamos abordar alguns aspectos sobre o que vem sendo chamado de “novo normal”. A pandemia deixará como um dos seus legados a mudança comportamental acelerada com forte uso dos meios digitais.

VAREJO

Para o setor varejista como um todo teremos novos protocolos a serem seguidos nas lojas físicas, algo que já vem sendo vivenciado pelos supermercados e farmácias prioritariamente. A medida que a reabertura passa a acontecer para os demais estabelecimentos, todos sem exceção passarão adotar medidas de proteção e segurança a vida bem como de higiene e limpeza com muito mais frequência que antes.

A crise sugere uma mudança de comportamento dos varejistas, será preciso entender para atender. Uma das ações mais significativas que temos visto em meio a crise tem sido o uso extensivo das redes sociais para comunicar-se com o consumidor. Para aqueles varejistas que sempre prezaram por organizar seu banco de dados a adaptação foi rápida e menos traumática. Já para aqueles que ainda têm dificuldades para reter dados de clientes a lição tem sido de sabor amargo.

COMO USAR AS REDES SOCIAIS

O primeiro passo é organizar suas redes sociais de maneira profissional, ou seja, evite fazer de qualquer jeito faça sempre com o suporte de profissionais desde o início. Há duas formas de fazer isto: internamente com profissional devidamente qualificado ou com terceiros com experiência na área. Lembre-se a terceira opção inexiste. Portanto, se iniciar de maneira errada perderá tempo e dinheiro.  Personalize as campanhas de acordo com o perfil de seus clientes, idade, tipos de itens que costuma comprar, frequência, bairro em que reside, ticket médio, enfim, quanto mais dados puder apurar mais assertiva será sua campanha. Seja sensato, ninguém curte receber posts a cada cinco minutos. Cuide bem de cada um dos seus clientes, talvez ele/ela queira apenas ser lembrado por você, tenha em mente a venda é a consequência, o efeito. Antes da venda é necessário a causa, encante, surpreenda, seja um parceiro antes de ser um vendedor. Um trabalho bem organizado e bem executado nas redes sociais trará resultados surpreendentes para seu estabelecimento, acredite.

LOJAS ONLINE PARA O VAREJO FÍSICO

A crise tem evidenciado a importância de ter uma loja online e temos visto algumas promessas de plataformas que possibilitam que um varejista coloque sua loja no ar em dois dias. Bem, isto é parte da verdade. Sim, é verdade que uma loja online facilita a vida de ambos lojista e consumidor, todavia, é preciso ser realista e cuidadoso. Neste momento as redes sociais trazem resultados imediatos. Uma loja online exige planejamento, tempo, fazer por fazer será um problema ao invés de uma solução. A tecnologia é o detalhe menos complicado atualmente. Digamos que você tenha uma loja de produtos e materiais de limpeza, aliás um segmento em alta durante a crise. Para montar uma loja você precisará escolher uma plataforma que atenda suas demandas e há muitas opções no mercado. Após a escolha da plataforma você precisa definir o que deseja vender na loja online. Para definir o mix de produtos é necessário estar atento as regras das transportadores sobre pesos e medidas, por exemplo, um balde mop poderá ser aceito pela empresa Correios ao passo que um rodo com cabo de 1.80m terá que ser despachado por outra transportadora. Bem, agora você já tem a lista de produtos e sabe como poderá enviar para seu cliente. Em seguida você precisa definir os preços considerando o fator frete para outras cidades / estados e entregas em seu entorno. Saber se o preço será competitivo exige pesquisa e conhecimento do mercado. Para cadastrar um produto em uma loja online você precisa de fotos com excelente qualidade, um bom descritivo – copiar de outros sites é perda de tempo, quantidade que será disponibilizada, adicionamos aqui controle de estoque loja física e loja online, a lojas serão integradas com seu ERP, entre outros detalhes.

Vamos assumir que todos os detalhes foram analisados, providenciados e já podemos ativar a loja online. Agora vem a próxima fase, é preciso comunicar que a loja passou a existir, ou seja, planejamento de marketing, provisão para campanhas, onde investir, quanto, para quem, quais produtos, quais regiões. Sem planejamento o dinheiro investido vai parar no ralo.

Uma loja online é um excelente canal de vendas, um facilitador mesmo para clientes que frequentam a loja física. O cliente é quem decide quando e o que comprar e em que canal é mais conveniente. Além de reforçar as vendas locais o e-commerce expande a presença do varejista para outras regiões de acordo com seu volume de investimento. Esta expansão poderá ser gradativa sempre respeitando a capacidade de investimento e fornecimento. Tomar todos os cuidados, fará toda diferença para o sucesso de seu e-commerce. Precipitar-se, investir em algo novo sem o devido conhecimento levará a frustação.

EMPRESAS

Nesta época tão complicada e de incertezas sobre o futuro da economia, cabe as empresas aprofundar seu relacionamento com seus clientes e fornecedores. Estar presente no mundo digital nunca foi tão importante. Citamos acima um exemplo de varejo para produtos e materiais de limpeza. Neste caso, para uma empresa que fornece estes itens ao varejo, esta é uma excelente oportunidade para enviar materiais de comunicação de PDV, materiais para o varejista postar nas redes sociais. Muitos varejistas podem aumentar suas vendas com o devido auxílio de seus fornecedores. Uma empresa organizada saberá quantos de seus varejistas possuem lojas online, como seus produtos estão sendo destacados neste ambiente, como as redes sociais estão organizadas. Fica a reflexão: sua empresa apenas realiza vendas para seus clientes ou ela ajuda seus clientes a vender? O “novo normal” sugere novas atitudes, um novo olhar na relação fornecedor – varejo –  consumidor.