Como administrar um delivery de comida: dicas essenciais

Atualmente, é muito importante saber como administrar um delivery de comida. Afinal de contas, trabalhar com delivery é, atualmente, uma das únicas maneiras que os restaurantes têm de ficar abertos durante a pandemia do novo coronavírus. Sem o recurso, praticamente não dá para trabalhar e faturar, o que pode levar o negócio à falência, dependendo do cenário.

Não é à toa, portanto, que já vimos mais de um milhão de bares e restaurantes fechando as portas em 2020 por causa da pandemia do novo coronavírus, o que totaliza 25% de todas as empresas do segmento. Afinal, nem todos conseguiram se adaptar para trabalhar com sistemas de delivery ou contratar entregadores, o que acabou custando mais caro do que o esperado.

E aí, quer aprender como administrar um delivery de comida para garantir a sobrevivência do seu restaurante? Então confira algumas dicas essenciais a seguir!

4 dicas de como administrar um delivery de comida

1. Faça as contas entre as plataformas

A primeira decisão que o administrador de uma empresa precisa tomar é se vai usar uma plataforma própria, uma de terceiros para vender seus pratos ou tudo junto e misturado. A segunda decisão é qual plataforma usar e como organizar os pedidos entre as opções que existem.

Essa decisão é importante por conta de vários aspectos. No fim de tudo, você provavelmente se decidirá com base em contas matemáticas. Por exemplo, cada plataforma de delivery, como Rappi, iFood ou Uber Eats, cobra uma taxa básica em cima de cada pedido recebido. Ainda que haja desconto nessa taxa durante a pandemia, ela é cobrada normalmente e pode chegar a valores altos. No entanto, ela cobre o uso da plataforma e os entregadores dos apps (existe a possibilidade de trabalhar com entregadores próprios e pagar uma taxa menor).

Portanto, o dilema é entre não ter custos com estrutura (app, servidor, entregadores próprios, marketing) ou ter altas taxas em cima do preço de cada pedido. Dependendo do volume de pedidos, vale a pena um ou outro modelo. Portanto, faça bem as contas e veja o que faz mais sentido para você.

2. Mantenha seu cardápio enxuto

Uma tendência de muitos restaurantes brasileiros é ter cardápios bem recheados, com vários pratos diferentes. Para alguns empreendedores, quanto mais opções, melhor. Isso pode até funcionar em alguns contextos no atendimento presencial, mas não no delivery.

Nos apps, quanto menos opções, melhor para o consumidor. Afinal, fica mais fácil escolher entre as alternativas, sem ficar se perdendo em rolar a tela infinitamente para escolher a melhor pedida. Esse efeito é conhecido como Paradoxo da Escolha.

Além disso, para a empresa é muito mais fácil se organizar com poucos pedidos. Afinal de contas, o leque de ingredientes a ter em estoque é muito menor, além de serem menos rotinas de preparo a ter de fazer.

3. Controle o seu fluxo de caixa

Poucos são os restaurantes que têm um bom controle de fluxo de caixa, especialmente ao trabalhar com delivery. Um ponto essencial a ter em mente é que há um atraso no repasse de dinheiro recebido de quando os consumidores pagam.

Por exemplo, suponha que você começou a trabalhar hoje com um aplicativo de delivery. Nesse primeiro mês, você recebeu 450 pedidos, uma média de 15 por dia. Cada pedido tem custo de R$25,00, sendo que R$5,00 são da taxa do app. No total do faturamento mensal, portanto, o restaurante deve receber R$9.000,00 no mês.

No entanto, esse valor não é pago assim que o dinheiro cai na conta do app. Ele leva um certo tempo para isso. A quantidade de dias exatos depende de cada aplicativo. Portanto, é importante ter um bom controle do fluxo de caixa para honrar todos os compromissos sem problemas.

4. Tenha uma estratégia de marketing digital eficaz

Para poder vender bem no delivery, é importante ter uma boa estratégia de marketing digital. Ela deve estar definida em dois caminhos diferentes: despertar desejo em quem ainda não quer comprar e ser encontrado por quem já quer.

A melhor maneira de despertar desejo é pelas redes sociais. Além delas terem uma audiência enorme (só o Facebook tem 127 milhões de usuários brasileiros), elas são majoritariamente visuais e isso é um recurso muito poderoso para restaurantes. Afinal, uma bela foto de um prato gostoso viraliza muito facilmente.

O ideal, portanto, é postar sempre perto do horário do almoço ou jantar e tentar alcançar sempre mais pessoas da sua cidade nessas publicações.

Já ser encontrado depende muito de anúncios no Google e em outras plataformas. É importante aparecer com o seu link para pedidos online nesses lugares. Uma forma disso é pela plataforma de links patrocinados.

Essas são algumas das dicas básicas de como administrar um delivery de comida. Considere todas as informações para poder montar um plano básico de gestão e, aos poucos, ir incorporando novas medidas de administração ao seu restaurante. Não perca tempo esperando o cenário perfeito aparecer: comece com o que é essencial e vá construindo o restante conforme for necessário.

E aí, gostou do conteúdo? Então deixe um comentário abaixo com a sua opinião sobre o assunto!