Como adiantar a quitação do financiamento?

Quer adiantar a quitação do seu financiamento e não sabe como? Confira!

Conquistar o sonho da casa própria é o objetivo de muitos brasileiros. A modalidade de compra por meio de financiamento é uma alternativa muito utilizada por quem vai comprar casa ou apartamento. Entre as dúvidas mais comuns dos consumidores estão a etapa de negociação do contrato de financiamento, a escolha do imóvel e o processo que envolve a quitação do imóvel financiado.

É possível adiantar a quitação do financiamento?

O consumidor com interesse em quitar o financiamento antes de prazo deve entrar em contato com o banco credor, informando seu objetivo. Antes disso, é fundamental conhecer o contrato de financiamento e entender claramente as suas obrigações e prazos vigentes.

Depois, o consumidor deve solicitar à instituição financeira informações a respeito de descontos aplicáveis a juros futuros e da forma como são recalculadas as parcelas devidas com a aplicação do desconto. Se o objetivo é realizar o pagamento do saldo devedor à vista, o banco credor costuma emitir um boleto com o valor total do saldo devedor.

Uma alternativa utilizada por grande parte dos consumidores é usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para amortizar uma parte do financiamento. Isso é possível no caso de contrato de financiamento pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Como calcular a quitação antecipada do financiamento?

Antes de proceder à antecipação do pagamento, é fundamental consultar uma calculadora de quitação. Para isso, existem sites especializados que oferecem ferramentas de cálculo.

Na base de cálculo é necessário considerar o Custo Efetivo Total (CET) e a rentabilidade anual líquida do investimento no qual o valor está aplicado. Se o CET for superior ao valor da rentabilidade, a antecipação pode ser uma ótima ideia.

Vale lembrar que o Custo Efetivo Total é uma informação muito importante para quem está pensando em fazer um financiamento. Ele representa todos os custos da operação, incluindo taxas de juros, seguros obrigatórios, Taxa Referencial, entre outros. Antes de assinar o contrato, o banco é obrigado a informar o Custo Efetivo Total.

Como quitar o financiamento mais rápido?

O uso do FGTS é uma das estratégias que podem ser utilizadas por quem está pensando em quitar o financiamento mais rápido. O interessado que utiliza o Sistema Financeiro de Habitação pode recorrer ao FGTS para composição das prestações.

Neste caso, é fundamental saber que existem algumas regras a serem seguidas para o uso do FGTS. Algumas delas são: limitação do valor do imóvel; o bem financiado deve ser urbano e residencial e estar localizado na cidade de moradia ou trabalho, além de estar devidamente matriculado em cartório de registro de imóveis.

Outra alternativa é a organização financeira e corte de gastos. Se o objetivo é se livrar da dívida de financiamento, uma boa opção é a reorganização das despesas familiares. Reduzir gastos e juntar dinheiro pode ajudar a ter uma fonte de renda maior. Esse dinheiro pode ser aplicado, a fim de formar a quantia necessária para quitar o financiamento. Muitas famílias optam por vender um bem como um automóvel, por exemplo, para destinar esse recurso para amortização de parte do financiamento.

Outra dica interessante é usar o décimo terceiro salário para isso. Um salário inteiro pode representar até três parcelas do financiamento. Em qualquer um dos casos, é fundamental avaliar a situação financeira familiar, manter uma reserva de emergência e calcular a viabilidade e as vantagens da quitação do financiamento.

O que é necessário fazer após a quitação?

Quitado o financiamento, é fundamental fazer o registro do termo de quitação junto ao Cartório de Registro de Imóveis onde a sua casa ou apartamento está registrado. O termo é emitido pela instituição financeira responsável pelo financiamento e declara que a dívida foi paga.

Ao receber o termo, o Cartório de Registro de Imóveis registra junto à matrícula do mesmo que a dívida foi paga e que a alienação fiduciária não tem valor, face à quitação. A partir de então, o imóvel passa a ser de posse e propriedade exclusiva do comprador.